01/03/2010

Brand Equity

Na mesa redonda, entre laptops e planilhas, seguia eu ia dizendo em números e pontos sobre o Brand Equity de um dado segmento de mercado, tudo ali na base do drive racional... A sopa de letrinhas quer dizer, o valor emocional da marca, o quanto alguém é capaz de pagar por um bem além de seus atributos tangíveis. Quer melhor do que o exemplo do preço de uma bolsa Vitor Hugo ou um perfume CK? São os valores que o consumidor enxerga. E, fique calmo (a) que não vou continuar nenhum mais um parágrafo falando de busisness, não precisa apertar o x do canto direito.

Você é um produto (hipoteticamente tá?!) composto de partes: cabelo, unhas, pele, cheiro, cor dos dentes. E é revestido de uma embalagem: roupas, sapatos, corte de cabelo, perfume, esmalte, cremes, acessórios etc. As pessoas acreditam na “função que você exerce” e atribuem a você um valor –seu brand equity.

Essa equação é puro marketing, lógico. Mas, quando um superior no trabalho vê uma pessoa extremamente nova, vestida com umas roupas de estudante, com um estilo muito estranho... que tipo de “preço a mais” deveria creditar? A primeira reação do cérebro é buscar inconscientemente pré-conceitos sobre tudo aquilo que sua leitura ótica está varrendo. Daí nasce uma cadeia de associações. Tênis All Star lembra pessoa alternativa, unhas pretas roqueira, roupa social credibilidade etc.

Quando você lembra de ligar para um Call Center o que primeiro te faz lembrar? Sensação de frustração, de espera, de ser enganado etc. E se você fosse um produto qual seria a primeira coisa a se lembrar de você? Onde está seu top of mind?

Há pessoas que ficam extremamente chateadas com as críticas feitas por outrem a sua imagem, comportamento ou posição e creditam tudo isso ao demônio da publicidade lavadora de cérebros. Na verdade, a conceituação é própria da cognição humana. – Ela só ganha dinheiro aprendendo a controlar esse drive.

Não que devamos nos escravizar pela máquina do marketing pessoal. Mas, viver hoje sem ele é como não ter água encanada. Está ali em todo canto, de qualquer lugar.

Nenhum comentário: