25/03/2009

Inércia embaranga


Recentemente um casal conhecido, que já namorava há onze anos, brigaram por um motivo besta. Por uma simples ligação não dada por causa da falta de bateria. Terminaram. Não, ninguém termina por causa de uma bateria, isso é óbvio. Mas, como ter coragem pra enxergar através das camadas do conflito que lá embaixo mora a monotonia, o convencimento da união eterna, o cansaço, o desânimo?

O homem tem dentro de si o ímpeto da caça. Conquistar, desbravar e dominar. Tirar-lhe isso é matar a emoção de sua existência. A mulher é aquela que mantém a chama acesa. Porém, quando os anos passam, o salto 15 diminui até chegar na rasteirinha. O vestido curto aumenta e enlarguece até os pés. A maquiagem desmancha até chegar no brilho labial. As unhas descascam e ficam na base. O envelhecimento do namoro na sua forma material é degradante e triste de se ver.

Com muitas preces minhas, eles celaram a paz depois de semanas de conflitos verbais sangrentos. Isso faz com que tudo volte a ser como era antes? Não, deve ser tudo diferente e pra melhor! Deixar de lado as desculpas. Desculpa é aquilo que não é impossível de ser feito. Se há tempo pra dedicar quase 14 horas de estudo por dia de um lado e de trabalho do outro. Então, no fim de semana, tem que haver tempo para sair e conhecer lugares novos. Se as regras de etiqueta do escritório pedem maquiagem e salto alto, por que não se esforçar pra quem se ama e usar a roupa mais sexy e bonita? Se fazemos tantas coisas por obrigação, por que menosprezamos o desejo da outra pessoa de nos admirar? Por que nos ama?! Não acreditem só no amor, ele habita em um corpo de carne.

Um dia desses Max do BBB estava inconformado com a namorada, que tinha ciúmes da gostosona Priscila: _ “Os ferros da academia estão ali, vai correr atrás do atraso e parar de reclamar, pô”. É isso, não adianta ter inveja, é preciso deixar de lado as desculpas, a preguiça e ser a mulher que se deseja ser.

Não adianta colocar um óculos preto daqueles de filme de 3D em que só é possível enxergar o próprio parceiro. Hei, olhe para o mundo todo e se faça olhar! Não há bateria no celular que vire desculpa pra conflito quando a fila da concorrência está a postos para o ataque!

Beijos da Li que vai correr agora, não porque gosto, na verdade detesto, mas é preciso. Não adianta aceitar as desculpas do corpo, é preciso ir contra a vontade dele. Inércia embaranga.

Li Mendi.

2 comentários:

Aninha Barreto disse...

Caramba... que puxão de orelha!!!rsrrs!!! eu to correndo atrás de sair da inércia e o resultado foram 8 kg a menos!!!!!eee!!!

Li disse...

olha só 8 kg parabéns