21/07/2008

Entre sorrisos e críticas cítricas

Conheci duas mulheres. Uma com muitos sorrisos, outra com poucos. Fico com a segunda. Aquela que demonstra todos os seus sentimentos, ironia, felicidade, sarcasmo, graça, provocação em diversos sorrisos me ojeriza por sua falsidade. A que se passa por séria, quase ácida, com suas frases diretas e farpantes machuca, mas dela você sabe exatamente o que esperar. Gosto de quem é autêntico sem medo.

Conviver com ambas é um exercício difícil. Uma me destina críticas cítricas que quase doem da maneira que tira camada a camada minha vaidade e chega com a pinça no nervo. Descobri nessa uma sábia mestre que me faz crescer com os consertos que me propõe, sem meias palavras ou jeitinhos. O brasileiro tem disso: dos jeitinhos cuidadosos. Assim, a gente vai errando, repetindo, ingerindo no mesmo passo em falso. Não é possível aprender de verdade sem qualquer tipo de dor. Evoluir significa abandonar o apego por uma crença, hábito ou costume por outro que valha a pena.

Já a outra me sorri sempre para tudo e não sei se me admira ou inveja, se ri comigo ou de mim. Essa me impõe a tarefa árdua de não me deixar levar pela primeira impressão de sua alegria. Não posso confiar em alguém de quem não sei o que esperar. Fico tateando em convenções, diplomacias, reiterando o que digo com doses de cuidado. Isso contraria a lógica da espontaneidade da convivência diária.

O importante é interagir com o ser humano sendo ele próprio, diferente, oposto, um “não-eu”. Quem tenta entender para mudar se debate e sofre. O mais inteligente é entender para melhor lidar.

A nossa história ensina tantas possibilidades de ser menos egoísta e ver o mundo além do umbigo.

Um abraço apertado em vocês leitores queridos! Não estou postando aqui diariamente. Mas, podem me encontrar religiosamente no meu novo livro online:

Amor de Alto Risco>>

Beijos da Li Mendi.

2 comentários:

Deisinha Rocha disse...

pessoas, pessoas e pessoas...
pessoas...


entende, né?

cadê a Lucy?? ando sentindo a falta dela por aqui...

aninha barreto disse...

\o/ tremendo esse texto eim... meu Deus!!! mas esse texto me faz lembrar de uma outra frase bem interessante que diz assim: "prefiro um inimigo declarado a um amigo falso". É dificil lidar com gente que adula demais e na hora que menos esperamos metem a faca pelas costas!!