02/05/2008

Sexo pago, amor sem preço

Eu não vou entrar no mérito “houve ou não tentativa de arrancar 50 mil do Ronaldo”. Isso é entre ele e o travesti. Mas, não posso deixar o tema passar em branco. Eu moro em uma rua transversal ao local onde ele “pegou a sua ‘escolhida’”. Às vezes, sentada na praia, à noite, tomando água de coco com meu namorado, vejo carrões importados (que valem mais de cem mil) parando para escolher as travestis e prostitutas do calçadão. Muitas delas são bonitas e todas bem arrumadas. Várias “Bebel” que trocam uma transa por 350 reais.

Sem também entrar no mérito do mercado e das cotações do sexo, só tenho que fazer uma observação indignada: “Como alguém deixa a namorada linda e maravilhosa em casa e vai pagar por sexo na rua com uma (um?) desconhecido, como fez Ronaldo”?

O corpo sempre foi mercadoria, desde a época de Jesus, nada de hipocrisia... Mas, quando a pessoa tem dinheiro, fama, sucesso e uma linda mulher precisa fazer sexo pago? Acho que o vazio humano está tão perigoso quanto o buraco na camada de ozônio. Desejar todo dia a mesma mulher não é fácil. Tem dias que não dá vontade de transar mesmo por cansaço, problemas no trabalho ou faculdade, briga na família... enfim, tantos motivos. Mas, sobra a conversa, um filme para assistir juntos, um jantarzinho, um afago, dormir de conchinha...

***

Estávamos sentados à beira de um canal (limpo ta? Rs, canal virou sinônimo de poluição) que passa aqui perto de casa, sobre as árvores. Vimos um caranguejo. Eu disse ao meu namorado que nunca havia comido aquele bichinho. Ele então deu um pulo e falou que a gente ia almoçar em um lugar diferente. Eu fiquei curiosa. Adoro ser surpreendida! Depois de 1 hora de carro, estávamos em uma região litorânea linda chamada Restinga de Marabaia. Paramos em um restaurante e comemos tudo que é tipo de peixe e... Caranguejo. Foi incrível! Delicioso. Tudo terminando em muito sorvete de chocolate e beijos apaixonados.

A diferença entre uma Bebel e a “Fiel” é que a segunda pode provocar uma coisa sem nome no coração do homem que ele sabe não ter preço. É uma mistura de unidade, amor, alegria, ego, singularidade... Nada disso o dinheiro compra. Pode se pagar por sexo, mas ninguém conseguirá comprar o amor. Por isso o mundo ainda está a salvo.

Eu amo e o amor me transforma a cada dia!

p.s: O poema que a Lucy postou abaixo é lindíssimo. Vale a pena conferir!

Li Mendi

Fonte= Imagem

2 comentários:

O ANTAGONISTA disse...

Gostei muito do blog, gostei mais ainda de saber que o meu está "linkado! aqui.
Voltarei mais vezes, abração para as duas!

Lucy disse...

Boas vindas a vc, o antagonista!
Fique à vontade... =)

E esse problema de pagar por sexo... caramba, isso é pano pra longas mangas de discussão... mas, nao quero entrar nesse mérito. Só quero memso convordar que o amor é aquele "que" de diferença num relacionamento que faz um caranguejo ser inesquecível, né, Li? bjoks, miga... tomara que esses bons momentos cheios de amor se multipliquem na sua vida!!! \o/