23/03/2008

Ao solo

Ele não tem músculos, nem um soco inglês. Pesa uns miligramas, mede alguns centímetros e pode te derrubar. 1x 0 para o mosquito da dengue e lá estava eu fervendo em febre na cama. Meu corpo ficou repleto de manchas e pequenas protuberâncias que facilmente poderiam ser confundidas com um baita sarampo.

Ao abrir os olhos com muita dificuldade, vi o rosto do meu grande amigo. Ele me fez tomar o analgésico, mediu minha febre e até ousou preparar uma sopa. Acho que gastou toda a louça do armário, mas no fim chegou com um prato fumegante para me obrigar a comer. Mas as coisas tenderam a piorar e chegaram os desmaios. No seu carro, corria como louco pelos hospitais lotados. Por fim, entrei já desmaiada em uma emergência. Só me lembro de flashs de imagens. Mãos e braços me colocaram na maca. Agulhas furando meu braço para colocar o soro. O fio da sonda saiu e um refluxo de sangue fez um chuveiro vermelho sobre a cama, os médicos ao meu redor preocupados. Comprovado: minhas plaquetas estavam no nível mais baixo e eu poderia ter hemorrogias, pois minha capacidade de coagulação era muito pequena.

Olhei o rosto aflito do meu amigo que parecia sofrer a minha dor também. Já em casa, acordou de madrugada para me obrigar a beber água e verificar minha febre. Não saiu do meu lado para nada. Fiel, persistente, com fé de que eu ia melhorar.

_ Você é muito importante para mim. – disse-me.

Sorri e senti as lágrimas enchendo meus olhos. Sua testa encostou na minha.

Depois de dias repletos de dor nos músculos e ossos, febre alta e desmaios, voltei a mim. Mas, meu amigo já não podia estar comigo. Suas férias acabaram e precisou começar a trabalhar.

Olhei-me no espelho, com o rosto novamente sem manchas. Colori com a melhor maquiagem, pus brincos e um delicioso perfume francês. Fui até a casa dele e esperei que chegasse do trabalho para lhe fazer uma surpresa.

Quando abriu a porta e me viu ali, linda, cheirosa e cheia de vida, ficou estancado na soleira, incrédulo. Eu ri e provoquei também o seu riso.

Caminhamos juntos, um na direção do outro. Ele fora a força que eu não tinha e com sua compainha colocara a doença entre parênteses em minha vida.

_Você está muito bem...

Falei-lhe ao ouvido baixinho:

_Quer ver o quanto?

Agora meu amigo voltava a ser também meu amor. Podemos amar um amigo ou descobrir que um amor era só um amigo. Mas o sucesso de um relacionamento é quando os dois conseguem coexistir, um dentro do outro. No momento de ausência de contato físico o amigo aflora e se torna mais evidente.

O cara que está ao seu lado não pode lhe dar só seu corpo, porque caso se limite a isso, haverá espaço para outra (as) em seu coração. Um homem que ama no seu âmago dá tudo e não uma fração. Aquele que divide seu pensamento com terceiras pessoas ou ocupações não ama, no máximo é só um “amigo” e está se enganando. Há quem escolha para si se enganar por toda a vida.

Algumas mulheres de hoje escolhem "amantes" para casarem e quando, no convívio íntimo diário, descobrem que não se pode fazer sexo 24 horas, pedem o lado amigo e não encontram. Em pouco tempo assinam o rompimento. Há as que pensam terem acertado juntando as escovas com um bom amigo de cérebro admirável, mas não devemos querer uma pessoa por admirar sua capacidade de pensar. Se não sentir tesão para beijar todos os dias a mesma boca, não vai tardar para o telefone do advogado tocar.

Depois de nosso beijo de reencontro, um “EEEEEh” da família presente na sala nos fez rir. Reunidos na grande mesa, comendo uma lasanha fumegante, acariciei sua nuca, como adoro fazer e vi seu rosto sorridente se virar para mim me amando com uma intensidade mágica. Não há frações entre nós, nosso caso é um todo. Não há ilusões, a gente se tolera na guerra diária. Não há espera, somos para já. Não há impedimentos, entre nós o amor não é covarde, por isso vive!

**Minha Net voltou! I'M ON AGAIN!!!

Fonte= Imagem

Li Mendi

6 comentários:

luana disse...

Li que coisa mais linda !!!
pena eu não estar sentindo todo esse companheirismo no meu amor....tenho fé que as coisas vão melhorar entre nós dois, mas às vezes penso no fim, de me entregar... Não que não o ame, eu o amo muito,mas tenho dúvidas se ele realmente precisa de mim ao seu lado...
Não sei o q anda acontecendo comigo, não me sinto mais tão feliz como antigamente, parece que tudo que ele pode me oferecer não está mais sendo o suficiente.. não sei...estou muito confusa
Muitos beijos...
P.S:Deu para perceber que estou nakeles dias!!!!

Blog amor disse...

Eu já passei por altos e baixos, já tentei terminar,mas estou ali, relutando... relutando, batendo a testa.
Até que hoje estou ultrafeliz, em um relacionamento que é um sonho de cinema. Então, te digo, se sentir lá no fundinho que ainda quer, não larga mão!
Um beijo no seu coração da Li

luana disse...

Ah Li muito obrigada!!!!
Mas quando eu me senti tão assssimmmmm sozinha... abro minha caixa de e-mail e um e-mail com uma letra de música e um belo EU TE AMO no final.... tudo sumiu como um passe de mágica...
Beijocas e estou sempre por aki lendo o blog e agora começando a ler o seu livro....

Li disse...

Luaninha, amorzinho, fique então com esse amor gostoso no coração e seja forte, viu?
Lucy e eu estamos aqui para o que precisar!
Beijocas!

Lucy disse...

Ai, nada como uma boa escritora para nos entreter! Bjoks, Li!!! \o/

E mais uma batalha vencida, né não!? (risos) Essa dengue não é páreo para nós! hehehe

Laine disse...

Aaaaai que perfeeeeito!!! Eu to acabando de sair de uma virose louca e acho que perdi uns 3kg, eu também tava sem comer "nada" e do pouquinho que eu comia, a maior parte ia embora...
Queria que meu amor tivesse cuidando de mim, mas como as férias dele já tinham acabado e a 2 mil reais de distância, fica meio complicado um cuidar do outro por enquanto, heuheuehue.
Nossa Li, fiquei morreeeendo de pena de saber que vc tava assim!! Graças a Deus que vc já está melhor!!
Beijo enoooorme querida!