20/10/2007

Nunca serão?

Quando eu assisto um filme, eu não apenas entro na estória como também trago-a para a minha vida e procuro ver se estou fazendo as mesmas coisas que os personagens, sejam boas ou ruins. Sempre analiso, projeto, critico a mim mesma diante do que me é apresentado. É involuntário. Quando vejo, já estou dizendo a mim mesma: “você não tem feito assim, está agindo dessa outra forma”. E por aí vai.

Muitas pessoas, simplesmente, assistem um filme. Como um telespectador comum que ouve a estória de alguém que passou por um determinado problema e se resolveu o problema desse ou daquele jeito. Ponto. Ficam ali, comendo e bebendo em suas poltronas, sem se dar ao trabalho de entender nada além do que as imagens e os diálogos estão mostrando. Não conseguem enxergar a si mesmas em determinadas situações que estão fora da realidade delas. Não fazem uma analogia do filme para as próprias vidas.

Eu faço diferente, me vejo em toda e qualquer situação aplicada. E se ela é muito fora da minha realidade, eu consigo fazer análises metafóricas. Mas, isso não significa que eu sou melhor ou pior do que outrem. É apenas o meu jeito de aprender. Observando e conscientizando-me das circunstâncias da vida. Bem, esse é um ponto positivo. E, para não dizer que estou contando vantagens, meu defeito é que, apesar de toda observação que faço, toda concentração, toda projeção que fabrico na minha mente para buscar fazer as coisas melhores do que tenho feito, eu só aprendo apanhando. Mas, isto não vem ao caso.

Venho lhe contar a respeito de minha mais nova análise metafórica, que tem a ver com, nada mais, nada menos que o filme TROPA DE ELITE (NUNCA SERÃO!!!). (risos)
Você se imaginou em algum personagem? Projetou-se para alguma situação e teve compaixão de algum deles? Compaixão é compartilhar da dor alheia, saber o que o outro está sentindo. Já sentiu isso por algum personagem da televisão? Provavelmente foi em algum filme que tem situações parecidas com as suas. Eu tive essa sensação em “Tropa de Elite”.

Coloquei a mim mesma num telão e me imaginei nos anos anteriores.

Frase de alguma menina
- Lucy, você ta perdendo tempo da sua vida!
Cena do filme
O capitão grita no meu ouvido: “você não pertence ao BOPE. Ta querendo enganar quem? Pede pra sair!!!”

Frase: Ah, garota, namoro à distância é muito difícil!
Cena: Tá difícil demais, senhora zero um? Tá cansadinha, quer lugar seguro e garantias de boa vida? Então, senhora zero um, esse curso não é pra você! Ta pensando que isso aqui é colônia de férias? Pede logo pra sair, você não vai conseguir! Aqui não é lugar de fraco ou corrupto e você não é perfeita e vai pedir pra sair!!!

Frase: Nunca vi um namoro assim dar certo! Eu não acredito em namoro à distância.
Cena: o zero dois desistiu! *gritos comemorativos* O zero sete desistiu! *mais gritos*
O capitão olha nos olhos e fala: agora é a sua vez porque você não é melhor do que eles! Já devia ter desistido, senhora zero um! A senhora é a zero um porque deve ser a primeira a desistir e eu *cuspe* vou fazer você desistir!!!

Frase: Uau, tanto tempo assim de namoro? Nem dá para acreditar. Como consegue?
Cena: *Lucy grita* Tropa de Elite!!! *Capitão* NUNCA SERÃO!!!

E essa frase me leva a buscar mais e mais. É uma frase de incentivo que instiga você a querer chegar lá, a provar que é capaz. E quando a gente chega lá, caro leitor, a guerra não termina. Ao contrário, é aí que ela começa. Antes, era treinamento. Agora é para valer.

Tropa de Elite!!!
Você faz parte dessa tropa, esteja em que situação estiver, desde que não desista do seu ideal, nem abra mão dos seus princípios de caráter, honestidade, fidelidade, lealdade e companheirismo.

(Lucy Wings)

2 comentários:

aninha disse...

ótimo texto Lucy!!!! adorei!!!! provar ao mundo e a nós do que e do qto somos capazes!!!!

deisinha disse...

Demaaiisss!
vou ligar pro meu namorado e ler o texto pra ele agora! shauihsauisa
parabéns!