25/09/2007

Risadas de deboche, é preciso suportá-las também

Meninas, essa semana soube de um caso que me entristeceu. Uma menina foi ridicularizada por ter feito uma declaração em um lugar sobre o seu namorado. Eu pensei em mim, em como nesses dois anos escrevi tanto a respeito de se amar um militar. Sei o que é isso, o que é ouvir piadinhas... Ôh, como sei. Machuca. Lembrei de uma vez que duas pessoas debocharam de mim e do blog... Shiii, melhor nem lembrar, rs.

Mas há o reverso da moeda. Hoje, li um e-mail gratificante de uma menina contando que o livro Amor Militar, Minha Guerra tinha sido um ótimo "manual" para ela, que não tinha idéia das coisas relacionadas a um namoro com milico. Puxa, fiquei ultra feliz. Olha que máximo, ajudei alguém que nem conheço!

Foi por isso que não liguei para as risadas e continuei a nadar, como diria a Dori do filme. Bom, estou "nadando" rs, agora no Amor Militar, Minha Gerra 2. Esse é composto só de entrevistas. Um trechinho das últimas que acabei de publicar lá, só para dar vontade de ler e quererem bis! rs.

"Aprendi que o amor não tem barreiras, ultrapassa todas as distâncias, todos os limites, ele sempre teve medo sobre nosso namoro, por causa da distância entre nós, eu achava isso bobagem, mas com o passar do tempo, as lágrimas foram caindo, o peito ficando apertado e a saudade rondava minha vida por tempo integral, nenhuma amiga compreendia a minha agonia de ficar longe dele, quanto ele me dizia a data em que viria em contava os dias para ver ele, quando ele chegava era o melhor momento para mim, nos dias que ele estava aqui, parecia um sonho, mas sempre que ele tinha que voltar para Resende, minha saudade recomeçava, e os dias passavam vazios e sem sentido." (Renata, RS)

"Namorar um militar tem me ensinado a ser mais calma e paciente com ele, pois sabemos que eles passam muito “sanhaço” lá dentro e nós como namoradas temos que saber entender e respeitar esses momentos. Aprendi a valorizar cada minuto que estou com o meu amor, já que não o vejo sempre, isso foi muito bom, porque quando estamos juntos só pensamos em matar a saudade, e aí quase não discutimos mais. Aprendi a lidar com a dolorosa barreira chamada saudade, porque nunca tinha ficado dois, três meses longe do meu lindo, e foi muito difícil me acostumar a essa rotina de despedidas e finais de semana sem vê-lo, mas não me arrependo um minuto sequer de ter enfrentado isso tudo, porque a recompensa é muito maior, é uma ligação inesperada só pra dizer TE AMO, é um recadinho do orkut ou mensagem no celular, ou então é a alegria de vê-lo chegar em casa cansado e deitar no meu colo com aquela carinha de anjo... gente, isso não tem preço né????" (Geisa, RJ)

"Aprendi que devo ouvir mais e falar menos, pois no meio militar é muito difícil, lidamos com pessoas de todas as regiões, todas as culturas, e geralmente todas estão longe de seus familiares, nesse contexto sempre há muita intriga e muita fofoca, já passei por poucas e boas. Mas hoje amadureci aprendi a ser falso sorrir mesmo quando a vontade é matar. Antes só falava com quem tinha afinidade, se algo acontecesse deixava de falar com a pessoa fingia que nunca tinha nem conhecido sempre fui boa em ignorar, hoje não é mais assim falo como se nada tivesse acontecido.Em todo esse meu processo de mudança ele esteve ao meu lado me ajudando me ensinando, pois tudo que me afeta, o afeta também, ainda mais no meio militar, onde os maridos usam do seu poder para descontar as desavenças das mulheres." (Priscila, RN)

"Dos meus amigos sim, mas escuto muita piada... Isso não é namoro é derrota e muitas outras coisas que já me machucaram muito. Mas o que mais me machucou foi quando meu relacionamento foi tema numa roda de “amigos” da faculdade, nunca me senti tão exposta quanto naquele dia. Parecia que eu precisava da aprovação da sociedade pra levar meu namoro adiante. Pior foi escutar que eu vivia num conto de fadas vindo com um voz de deboche. Meu relacionamento é maravilhoso e como muitos podem não acreditar vivemos em sua plenitude o amor. Suportamos tantas coisas juntos que impossível seria um casal ter tanta certeza de um amor como nós dois temos. Mas as pessoas agridem sim.... e muito.... mas to calejada... ou não hehe... às vezes, ainda me irrito com umas coisas mas meu ouvido aprendeu a não absorver esses tipos de comentários. Uma vez li no blog “nosso amor não é pra ser entendido e nem admirado, nosso amor é só nosso” achei lindo e levo essa frase comigo sempre." (Luma, RJ)


(Confiram a íntegra, vale a pena, são lições de vida! (clique aqui)>>)

**O livro do Ruan e da Jeni está muito emocionante e divertido. Essa semana haverá uma reviravolta... Se não leu ainda, corre lá e dê boas risadas com este casal.

O amor está no quarto ao lado>>

**Hoje, no nosso Sem Rasura (O papo cabeça aqui do Blog) fala sobre um polêmico publicitário que abalou o mundo da moda essa semana com uma foto.

Confira e dê sua opinião (clique aqui)>>

3 comentários:

Lucy disse...

Tsc... concordo plenamente com a Luma: “nosso amor não é pra ser entendido e nem admirado, nosso amor é só nosso”. É isso aí!!!

E, Li, eu não suporto os risinhos de deboche, não. Eu ignoro. Eu rio de quem ri de mim! Eu me divirto! \o/ hahahahahaha

Sabe... as pessaos que riem de nós são, geralmente, pessoas ciumentas, que já namoraram mtos caras e terminaram por "incompatibilidade de gênios", ou melhor, eles não conseguiram se relacionar com elas, que são mto difíceis! São incapazes de sacrificar a si mesmas por eles.. enfim... as pessoas que riem de nós são aquelas que não servem de exemplo pra ninguém. \o/

As pessoas me acham louca e eu adoro isso. Se eu sou louca, significa que não faço nada igual às outras, conseqüentemente, eu sou feliz porque eu faço o que eu acredito ser certo!!! \o/ Eu sou muito feliz!!!

Li, adorei esse texto! =))) Bjããããão, meninas!!!

E aih, meninas! Falem sobre isso tb! O que acham!? :)

luana disse...

Realmente as risadas de deboche são terríveis, mas nós mulheres fortes que somos, olhamos para essas pessoas e ignoramos isso hehehe....
Muitos dizem que não temos um namoro normal, que vivemos de lembranças, um conto de fadas ótimo que elas pensem isso porque realmente vivemos o AMOR que a maioria das pessoas passam pela a vida e não tem a oportunidade de sentí-lo...
beijos gente....
estou amando os textos
Parabéns Li

paula disse...

Respirar fundo... e abstrair muitas coisas. A vida é muito mais do que isso, critica e responder criticas.

Eu tava pensando, acho que tenho sorte, fora meus amigos da facul, minhas amigas são tds namoradas de cadetes ou filhas de militar... isso ajuda mto.
Ahh, Li, mandei o texto do amor me move pro meu boy, mas claro com devidos créditos a vc.
Bjão