15/06/2007

Chove chuva



Nesse dia dos namorados passei maus bocados, a minha mãe, ela não é contra, mas também não acredita no meu relacionamento (ela já sofreu grandes desilusões!).

Eu estava muito triste por não poder passar o dia dos namorados com meu amor, e eu normalmente não falo pra não ouvir certos comentários dela, mas virei e disse: "Queria tanto está com meu namorando nesse dia!"

Ela olhou pra mim com uma cara de descrente e soltou: "Que namorando? faz mais de quatro meses vc aqui ele lá, vc acha que ainda tem namorando?"

Na hora não consegui falar nada, só levantei e fui pra casa, comecei a chorar no caminho, me perguntava se era verdade, se eu não havia criado essa ilusão estúpida só para eu ter um motivo pra seguir em frente...

Na hora, por muita coincidência ou destino, começou a chover muito forte, do nada, e me fez lembrar um dos dias mais marcantes, na 1ª semana de namoro, eu e ele brincando na chuva parecendo duas crianças, só pq. Estávamos felizes, juntos. Acordei desse flach de memória, respirei fundo e disse a mim mesma: “Que namorado? O MEU namorado, o que esta me esperando (ou eu estou esperando ele?), o que me liga nas madrugadas inusitadas de serviço só para dizer que me ama, o que me manda mensagens lindas, o que esta pensando em mim agora, o MEU namorado, que é o meu motivo pra seguir em frente, com certeza."

Comecei a sorrir já tava toda molhada, mas já não era de lágrimas, e sim de chuva, chuva que me fez lembrar no domingo anterior ao dia dos namorados, que eu tenho um namorado, um grande namorado, e não por que ele é realmente grande, e sim porque o nosso amor aprendeu que o fato dele não está ao meu lado fisicamente ou de não nos falarmos todos os dias, só quer dizer que o nosso amor esta ficando cada vez mais sólido e forte, criando raízes e nos proporcionando um futuro juntos.

Na segunda-feira eu estava tão nervosa por não ter conseguido mandar a carta dele ainda e por outros motivos que nem eu sei dizer quais são que comecei a passar mal, comecei tendo uma crise nervosa (dá ultima vez que isso aconteceu eu fui parar no hospital e meu namorando teve que ir me ver lá pq. eu fiquei internada e dopada pq. não conseguia me acalmar.), comecei a beber a vodka que ele deixou na minha geladeira, saí andando, não lembro como voltei pra casa, mas quando acordei esta com uma baita dor de cabeça e atrasada para uma prova da faculdade, cheguei a tempo, mas não lembrava de nada, saí mais cedo, fui ao shopping para me distrair, estava começando outra crise e eu tava sozinha.

Comecei a passar mal no shopping, tomei um remédio e fui pro curso a noite, quando ele me liga dizendo que ia me ligar 21:00 h, quase morro de nervoso, o curso acaba as 19:30 h, ate a minha casa daria tempo e ainda sobrava, mas eu tava tão nervosa que no ponto de ônibus não parava quieta, chegaram a me perguntar se eu estava bem, eu disse que estava, entrei no ônibus e não agüentei, comecei a chorar e chorei até entrar casa, quando ele me ligou eu estava tão nervosa que comecei a passar mal, não tinha mais ninguém em casa, eu mal ouvia o que ele falava, ele ficou triste pq. Achou que eu não tava dando atenção a ele.

A ligação estava ruim e mau nos ouvíamos, ele terminou desligando, eu relaxei, parei de chorar e liguei a TV, o tel. tocou, não achei que fosse ele, mas era, mas eu estava mais calma, havia me distraído e conseguir falar com ele direito e explicar o que estava acontecendo: “Não sei pq, mas desde que estamos distantes, eu tenho te tratado muito mal ao telefone e eu não sei pq, sobe dentro de mim um mau humor e uma indisposição, misturados com irritação e confusão de sentimentos, fico nervosa, sem ar, em pânico, parece muito com aquele pânico que dá quando éramos mais novos e aquela pessoa de quem gostávamos pagava na nossa mão e pedia um beijo, aquele pânico e esperar tanto por algo que quando vinha não sabíamos como agir... Toda vez que vc vai me ligar vc liga no meu cel. e avisa a hora, e nesse tempo eu entro em pânico, pânico de primeiro amor, nervoso, frio na barriga, medo de errar, de falar besteira, e com tanta coisa dentro de mim acontecendo eu simplesmente explode, me desculpa!”

Ele deu um sorriso de satisfação e só respondeu: “Eu também te amo muito!”

Como resolvi investi na casa pra quando ele vier, então só mandei um cartão que eu mesma fiz e a mão, uma carta e um livro que é emprestado só para ele ler, só vou vê-lo em agosto então daqui pra lá acho o presente ideal pra ele, ele me falou que mandou uma coisa, mas não disse o que era, mas só pelo fato de poder ouvir a voz dele, e desse dia ter acabado e eu não esta no hospital (no hospital não poderia falar com ele.) e ter ouvido o “eu te amo” que eu tanto esperava. Eu dormir parecendo um anjinho, e acordei bem melhor para a outra prova da faculdade, a qual saiu no sistema que eu tirei 9,5.

Beijinhos meninas, força e calma, eu descobri que ficar nervosa, nem sempre é um sinal ruim, mas que não ajuda em nada!

(Esta página do diário foi escrita por Ester)



---------------------------------------------



Meninas, escrevam para nosso diário contando algum fato do seu amor! Olha, quem não quiser se identificar, basta pedir no e-mail, que é, anota aí, amormilitar@yahoo.com.br; Ah! Lembrando que só a Li tem a senha, por isso, ninguém verá ser e-mail!

Comentem aí, dê sua opinião, conte como é a sua experiência!

3 comentários:

Li disse...

Oi,Ester!

Essa frase da sua mãe... muita de nós já ouvimos pelo menos uma vez de alguém...
Mas o amor acontece no nosso coração e nem sempre só na dimensão do mundo concreto.
Desejo que você fique bem e não passe mal mais... Acho que ainda está sendo difícil para sua cabecinha lidar com tudo isso, né?
Eu também não fico tão bem alguns dias, mas procuro me apegar aos livros, a escrever, a trabalhar...
Faz isso também, ajuda bastante.
Uma dica muito boa é fazer ioga, já experimentou? É ótimo para trazer uma paz interior.
Bom, no mais, aguenta firme, pois existe alguém que muito longe está acreditando nesse amor, por isso (e por ele!), não desista, ok?
Um abração da Li!

Quel disse...

Oi Ester!
Bem, eu assim como vc tenho crises nervosas que fazem parar no hopital, ja fui umas duas vezes...e uma delas foi por causa de uma briga com meu namorado, e o pior eh que ele estava de recuperação ( fim do ano passado) e nem pode ir me ver!
Acho que todas passamos por momentos diceis, e cada uma lida como pode, mas todas superamos esses momentos!
Vale pensar que temos muito mais coisas boas do que ruins!E ter certeza de que o amor vale a pena!!!
As dicas da Li são boas...depois que comecei a me concentrar mais no trabalho e faculdade as coisas melhoraram...consigo lidar bem ate como fato de ve-lo uma ou duas vezes no mes!!!Yoga não tentei, mas faço terapia mesmo! Faço psicologia né...tinha que ir pra esse lado! hehehe...ajudou muito mesmo!
Ta ai uma dica minha, terapia naum eh pra louco não e faz muito bem quando estamos assim e pode ajudar nas crises nervosas tb!!!
Mas que bom que agora ja esta tudo bem!Boa sorte pra vc e seu amor viu!
Bjusss

Teka disse...

obrigada meninas!
valew mesmo!
bjus