27/05/2007

Oásis



Essa semana não foi as das melhores. Me pego jogando para saber qual é “a mais pior da mais pior de ruim”, naquela caixinha feia na prateleira da memória. Isso deve ser sadismo. Que importa. Passados os anos, é difícil se dar conta que nem tudo é mais igual. Algumas atitudes podem ser muito melhores, mas quando o outro deixa de ser aquilo que te fazia tão feliz é erosivo. São centelhas minúsculas que vão voando com o vento... Corroendo. E quando vê: buraquinhos, lá estão eles. E tento tampá-los. Não com durepox, aquela massinha que sua mãe usa para vedar cano e qualquer coisa que quebre em sua casa. Meu coração ainda assim vazaria. É preciso algo mais forte, uma “droga bem mais pesada”. Cada uma monta a própria estratégia: de ir ao cinema com as amigas até se afundar em trabalho, as variantes tendem ao infinito. Me restou essa última, na falta de grana e de alternativas (Viva a obrigação. Humpf!).

Chegando em casa, me encontrando sob o chuveiro, tive uma crise de choro. Já sentiu que não precisava de dieta nenhuma, porque simplesmente a fome não vem e você emagrece naturalmente? Quer dizer, naturalmente coisa nenhuma, porque saudade é da família de qualquer doença que ainda não se descobriu, não é possível! Mas vamos, comer um pratinho de arroz com carne não deve ser tão difícil! Peguei minha apostila de Marketing para estudar. Que ironia, saber como é fazer um check list para a promoção de eventos era tudo o que não precisava. Que divertido, eu simplesmente triste estudando como fazer uma festa feliz.

Esqueci de complementar, após o banho eu estava bem melhor. Alguma parte ruim em mim deve ter ido junto com a água pelo ralo. Hoje, acordei muito melhor. Não é a toa que a sabedoria popular nos diz para tomar banho e dormir, porque faz bem. Ou isso não tem nada a ver e foi pura coincidência.

Que embrometion e eu nem cheguei ao ponto da palavrinha que intitula o texto. Em meio a vários relacionamentos que ruem ao seu redor, justo quando você não vai nada bem, eu vi a figura de um oásis na minha cabeça. É um pouco assim estar com um militar.

São terras inóspitas cercando a pequena zona verde que você rega-rega-rega para não secar também. Porém, há momentos que percebe que o seu minúsculo circulo fértil está murcho e tornando-se estéril. Que adubo de minhocas atômica seria preciso para trazer de volta os frutos? Se existe, você teria que atravessar todo o deserto árido para buscar. Ai você vai lá e volta mortinha de sede.

É difícil, para ser preciso, é um ato heróico, minha vida amorosa. Ela se tornou algo tão peculiar, que prefiro não contar para os outros. Porque os argumentos vão faltando.

Uma amiga maravilhosa me ligou contando seus problemas, suas dúvidas, sua necessidade de retorno, que nunca vinha e eu miseravelmente só disse: “Eu não tenho mais conselho para dar, porque estou no mesmo barco”.

Rimos no telefone, já era madrugada. Um silêncio na linha. E tudo que ela me falou, eu tinha o mesmo a dizer. Sobre a falta de telefonemas, de que respondesse as minhas mensagens, de que voltasse a ter o desejo de me conquistar como antes. E no final caímos na gargalhada, quando arrematei: “E de tanto me dizer que eu que sou a neurótica e louca, eu acabo acreditando e ainda por cima me sinto na dúvida se tenho que pedir desculpas?!”

_Eu também!, ela riu comigo, no meio da madrugada fria.

Eu falei para ela a minha estratégia: “Empurro com a barriga”. Você pensou que eu diria algo filosófico, mirabolante? Já gastei minhas fichas todas. Agora deixo o barco levando. Melhor, sendo levado pelas águas.

_Sabe, hoje estou vivendo mais a minha vida. _ ela me confessou, pois na sua estratégia de também deixar as coisas correrem, ela tenta colocar um pouco de lado as dificuldades da vida amorosa e foca nos estudos, na vida própria.

Eu também mudei muito minhas atitudes. Hoje, eu não sou mais quem eu era. Mudei minha profissão, meus planos de vida, tudo. Talvez eu não tenha reparado que eu também mudei. Isso quem sabe explique por que eu me incomodo com certas atitudes displicentes de outrem, que antes não enxergava. Porque as coisas agora se encaixam menos... com meu eu atual.

Já chegou o fatídico momento que te perguntaram se você iria para qualquer lugar onde ele fosse e abandonaria tudo, tudo mesmo? Eu respondi friamente:
_Não, não agora, porque eu tenho o direito de lutar por mim. Já esperei tanto para “Esperar” outro se resolver. Ninguém vai me esperar. Engolir esse “pedaço de pão” eu já engoli com muita água!

_Então, você vai fazer concurso público, vai...

_Não, eu não vou, eu não quero mais, não agora! Não hoje_ disse tão calmamente, que acho que soou assustador. Tão firme, que pareceu mentira. Mentira que se sucederia com uma risada que não veio. _Eu já virei estudante profissional faz muitos anos. Meu currículo já está cheio de tanto curso e não vi crescimento nenhum com isso! O mercado não é esse sonho desenhado por alguém que sabe que terá o seu emprego garantido. Eu não quero parar o trabalho maravilhoso que estou realizando e me fazendo feliz para estudar para concurso. Hoje, estou dirigindo os negócios da família e adorando, curtindo cada dia coisas novas que estou aprendendo. Eu achei o meu caminho. Preciso soletrar?

Eu sei que muitas pessoas podem atirar agora uma pedra na minha cabeça e me chamar de egoísta. Mas egoísta para mim, seria eu abdicar de mim, de me dar uma chance, para estar à sombra do sucesso de alguém. Ser aquela esposa de coronel doméstica, arrumadinha, pintadinha ao lado dele, muda, mais uma medalhinha para ele carregar.
Não me pergunto mais para onde esse barco vai, em qual cais vai parar, mas sei que sou em primeiro, em segundo e em terceiro lugar. Depois são os outros.


Li

5 comentários:

Luma disse...

Li você sabe onde me identifiquei ao ler seu texto não é mesmo? Sabe as pessoas às vezes nos chamam de egoístas como se fossemos “obrigadas” a largar tudo em função de um sonho que infelizmente ou felizmente não é nosso. Parece que pra muitos é profissão “ser mulher de militar” e para nós não, é somente um estado civil que acompanha a carreira de quem amamos. Não é que não tive coragem de largar tudo e ir, é por que até teria no momento que em que estivesse com meu diploma na mão preparada pra correr atrás de um emprego, da minha satisfação pessoal... Sim satisfação pessoal não engloba só o amor, mas o profissional também... Sabemos muito que egoístas não somos por que superamos tantos altos e baixos e mais baixos pra falar a verdade em função de um amor que pode ou não dar certo... como qualquer outro relacionamento.E quanto as mudanças, realmente a gente vive em constantes transformações o que hoje não nos satisfaz pode não satisfazer e o contrário acontece na mesma proporção...
Bom cada um tenta preencher esse vácuo cerebral de alguma forma... E seja qual for que ela seja construtiva e não destrutiva não é mesmo... E digo construtiva aquilo que você se sente bem fazendo e que te leve a acreditar nas escolhas mais acertadas pra você...
Quanto ao barco acho que a gente não se deve prender realmente ao amanhã, por que o amanhã ta muito incerto para os planos... Então deixe ser que nem um barco a vela onde a intensidade do vento e a direção sejam guiados pelo relacionamento de vocês e o sentimento que os une, nada mais!

Beijos Li e to aqui mocinhaaa...

Luma disse...

Consertando a frase:

"E quanto as mudanças, realmente a gente vive em constantes transformações o que hoje não nos satisfaz pode satisfazer e o contrário acontece na mesma proporção..."

Nathy disse...

Sem palavras minha amiga...
Tanto pra vc, quanto pra Luma!

Acho q as duas sabem pelo menos 1/3 da admiração q tenho por vcs, do orgulho de poder dizer q tenho vcs sempre q preciso...

Vcs saum pessoas maravilhosas, saum anjos q Deus colocou no mundo e por mta sorte do destino, na minha vidah...

Pessoas experientes q sofreram, cairam e conseguiram levantar de forma honesta e sem baixar a cabeça pra nada e nem pra ninguem...

Eu bato palmas pra vc, Li... de pé... tanto qto pra Luma... minhas duas guerreiras mor! Exemplos a serem seguidos naum soh por mim, mais como por qualquer outra menina!

Amo as duas demasiadamente! E kro sempre poder ter a HONRA de ter a amizade de vcs!!

Mtas felicidades...
vcs merecem!!!

Bjos!!

Li disse...

Nath, anjinho te adoro!

jakeline disse...

Nossa Li passei por isso semana passada, acho que as vezes não sei o que me dá, acontece que eu já to ficando sem saber o que fazer meio perdida meio achada, uma hora certa de minha verdade, oura confusa...não sei não to muito bemmmmm...te adorooooo que DEUS te abençoe....xero grande no teu coração....